Total de visualizações de página

domingo, 20 de março de 2011

Algumas verdades sobre o conflito na Líbia

[Ué? Os EUA não são contra as ditaduras?]

Engraçado como vemos de uma forma misteriosa nascerem ditaduras que nunca haviam sido divulgadas na mídia. Tantos anos de ditadura e arrecem agora a mídia arrecem faz um grande alarde impulsinando as revoltas? Por que eles não haviam feito isso antes? Por que esperaram tanto?
A resposta é simples: enquanto esses presidentes não são incomôdo aos interesses das grandes potências, ou são coniventes com o imperialismo, eles não precisam ser derrubados, mesmo que seja alguma Monarquia sanguinária das mais teocráticas e absolutistas. Ao contrário, ditadores são bons pra controlar rebeldes que possam prejudicar os interesses das potências caso tomem o poder.
[Kadafi e Berlusconi (par perfeito!)]

Como você vêem nas imagens, Kadafi sempre teve boa diplomacia com as potências imperialistas que hoje
invadem o país como a Itália e os EUA por exemplo.
Isso mostra a conivência dos imperialistas franceses, americanos, italianos e britânicos com as piores ditaduras. Essas ditaduras sempre foram convenientes para essas potências. Suas multinacionais eram as que exploram o petróleo entre outros recursos naturais.

Eu, particularmente, sou contra a ditadura de Kadafi, e presto minha solidariedade ao povo Líbio contra esse e todos os ditadores e monarcas da zona.
Também sou contra a invasão criminosa do imperialismo europeu e norte-americano se intrometendo no conflito.
Embora as potências tenham manifestado apoio ao movimento popular, esse apoio é uma forma de garantir que grupos radicais anti-imperialistas (nacionalistas) não subam ao poder. Essa intromissão imperialista em favor do povo é não é preocupação com direitos humanos, senão já haveriam derrubado-o há muito tempo... Essa intromissão garante que os próximos a chegarem ao poder abram seu mercado, acabem com protecionismos, deixem as multinacionais explorarem o petróleo e riquezas naturais.
Caso o Movimento Popular seja anti-imperialista e nacionalista, Líbia irá se tranformar num novo Iraque, onde o país é invadido para derrubar o ditador, controlar as milícias populares, e instaurar algum governo que mantenha toda a estrutura favorável às potências.

Fora da Líbia imperialistas! E fora Kadafi! O povo Líbio não precisa da ajuda de seus inimigos! Se Kadafi tiver que sair, que saia pelas mãos do próprio povo Líbio. Que as soberanias nacionais sejam respeitadas e todas as nações tenham autonomia para resolver seus negócios internos, sem nações apoiando esse ou aquele lado; afinal, você não entra na casa do seu vizinho para defendê-lo de uma briga com a esposa, não é?

 
[Kadafi e Sarkozy: antes e depois]___________________________________________________________________________________
Notícia Relacionada [recomendo]: http://www.sindmetalitajuba.com.br/ditadura-de-kadafi-entregou-a-libia-ao-imperialismo-europeu-e-americanos

Mídia independente X Grande Mídia tradicional


Nessa primeira postagem, exponho aos leitores leigos em questões políticas que nem tudo o que as emissoras falam pode ser tomada como verdade.
Nas reportagens alguns fatos são ocultados, outros são objetos de "tempestade em copo d'água", adjetivos são usados de acordo com a conveniência da emissora para definir o que é bom e mau.
Por exemplo: as palavras terrorista e ditador: quando um grupo popular é contra um governo apoiado pela emissora esse grupo é terrorista e vândalo; quando um presidente é contra um grupo que a emissora apóia, esse presidente é um ditador, populista, e seja lá que outro adjetivo eles atribuem.
Por quê razão a grande mídia faz isso? Há vários motivos:
1. Seu vínculo ideológico e/ou partidário proveniente do(s) dono(s) da emissora, que podem ser de esquerda, de direita, apoiar x ou y;
2. O controle da emissora por setores do governo ou de pessoas/grupos poderosos como políticos e grandes empresários, que limitam o conteúdo da emissora à forma como ela deve mostrar seus pontos de vista, seus inimigos e amigos;
3. O apoio a objetivos e grupos em geral, podendo através da notícia denegrir a imagem dos seus "inimigos" e imacular a imagem daqueles que a emissora apóia.

Nesse contexto nasce a mídia independente, onde o telespectador ao assitir a notícia, se tiver dúvida, consulta blogs na internet e averigüa o "outro lado da moeda" e vê que existem outras versões da mesma reportagem. Você pode confiar no meu blog porque:

1. Não possuo patrocinadores que são os grupos capazes de ditar o conteúdo da minhas informações;
2. Não omito minhas opinões e vínculos político-partidários. Quando há um fato (como uma eleição, por exemplo) exponho por quem tomo partido, assim o leitor já sabe de que lado estou, podendo concordar ou discordar de mim, diferente das emissoras que não declaram votos mas favorecem seus candidatos.

Que todos possam utilizar desse blog como tira-dúvidas de tudo aquilo que está no senso comum. Duvide de tudo aquilo que você vê nos meios de comunicação e aprenda a tirar sua própria conclusão, entender a realidade e posicionar-se com uma opinião crítica sobre um fato...

Cristopher Yohan Gomes Gomes